289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
A Orquestra Filarmónica Portuguesa regressa a Olhão para mais um imperdível Concerto de Ano Novo, no dia 2 de janeiro de 2020, às 21h30, no Auditório Municipal de Olhão. From Blue to Blues é a prenda de Ano Novo que o Município de Olhão dá a todos os olhanenses e visitantes nesta época de festas.

2019-amo-01-Orquestra-Filarmonica-Portuguesa-From-Blue-to-Blues

A primeira parte do concerto, dirigido pelo maestro Osvaldo Ferreira, à imagem da melhor tradição vienense de celebração do Ano Novo, será preenchida com algumas das mais emblemáticas obras do século XIX, da autoria de Johann Strauss I, Johann Strauss II e Josef Strauss. São exemplos paradigmáticos as valsas Danúbio Azul, Vozes da Primavera, Ondas do Danúbio, Valsa do Imperador e a Marcha Radetzky, entre muitas outras obras que serão apresentadas num ambiente alegre, festivo e de celebração. Na segunda parte, a Orquestra Filarmónica Portuguesa interpretará obras de compositores norte-americanos como George Gershwin, Leonard Bernstein ou Cole Porter. 

Osvaldo Ferreira é o diretor artístico da Orquestra Filarmónica Portuguesa e da Sociedade de Concertos de Brasília. Foi o diretor musical e maestro titular da Orquestra Sinfónica do Paraná (2011 a 2014) e diretor da Oficina de Música de Curitiba. Em Portugal, foi diretor artístico da Orquestra do Algarve e do Festival Internacional de Música do Algarve e ainda diretor e administrador do Teatro Municipal do Faro.

O seu percurso inclui mais de 600 concertos, cerca de 70 apresentações de ópera e bailado e a direção integral das Missas e do Requiem de Mozart. A ligação à música contemporânea é um dos aspetos mais importantes do seu trabalho, destacando-se a apresentação de estreias e primeiras audições de obras de alguns dos mais importantes compositores da atualidade, tais como, K. Penderecki, L. Auerbach, Jean-Luc Ponty, B. Sassetti, H. Rosenschoon, ou G. Ligeti, entre muitos outros. 

Destaca-se ainda o trabalho de Osvaldo Ferreira à frente de importantes orquestras, como a Filarmónica de São Petersburgo, Sinfónica de Roma, Orquestra Gulbenkian, Sinfónica Brasileira, Orquestra de Praga, Filarmónica de Lodz, Filarmónica da Silésia, Sinfónica de Nuremberga, Filarmónica da Rádio Renana, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, Orquestra do Teatro Olímpico de Vicenza, Orquestra da Catalunha, North Shore Orchestra (Chicago), Orquestra do Festival de Música de Aspen (E.U.A.) e Orquestra Nacional da Venezuela, entre outras.

Fundada em maio de 2016 por Osvaldo Ferreira e Augusto Trindade, a Orquestra Filarmónica Portuguesa rapidamente captou a atenção do meio musical e artístico português, sendo já amplamente reconhecida, pelo público e pela crítica, como uma das melhores orquestras sinfónicas nacionais. O elevado padrão de exigência impresso desde a sua génese, levam-na a integrar um conjunto de músicos de elevado nível técnico e artístico, como sejam artistas premiados em concursos nacionais e internacionais, ex-integrantes da Orquestra Jovem da União Europeia e músicos estrangeiros residentes em Portugal.