289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 

Jardim

Os espaços exteriores da Casa João Lúcio / Ecoteca contemplam algumas espécies da flora autóctone do Algarve. Neste espaço, o intuito é valorizar estas espécies,  pois são as que melhor se adaptam às caraterísticas do solo e clima da região e que ocorrem naturalmente em todo o Algarve. O jardim proporciona aos visitantes da Casa João Lúcio uma forma de conhecer a vertente paisagística desta região desfrutando em simultâneo da tranquilidade que este espaço proporciona, nos seus diferentes lugarejos: lugar do silêncio, arte natural, lugar das lendas, horta biológica, trilho verde e cantinho das merendas.


Lugar do Silêncio

Neste lugar desfrute do sossego e desperte os seus sentidos
casa jlucio lugar silencio


“(…)Silêncio – asa que agita o braço dos mistérios,
És jardim onde se abre a flor – Meditação, (…)”

                                          "O Silêncio", Despertar, João Lúcio

 

 

 

 

 




 


Arte Natural

Através de elementos disponíveis na natureza (pedras, paus, pinhas, ervinhas,...) pode anonimamente contribuir para a elaboração de pequenas composições artísticas.

casa jlucio arte natural-W300“Cada facha de luz que toca o chão
Faz voejar as asas da poeira:
O pó dança depois nesse clarão,
Com essa agitação
Que dá toda a ventura verdadeira.
A gente julga doidas e ridículas
Essas faúlhas d’oiro assim aladas,
Quando, afinal, porém, essas partículas
Talvez tenham razão,
Porque nunca, por certo, tornarão
A ser, por nossos pés, jamais, pisadas”

"A dança  do pó", Descendo, João Lúcio


Lugar das Lendas

Aqui conhecerá algumas das lendas de Olhão e o misticismo associado à Casa João Lúcio.

casa jlucio lugar lendas-W300(…) Sinto uma impressão, confusa e persistente,
Sorvendo o seu perfume onde neva a tristeza:
Na retina ideal da minha alma vidente,
Passa sempre, em visão, deliciosamente,
Um fantasma magrinho e branco de Princesa.”

"A princesa exilada no perfume", Espalhando Fantasmas, João Lúcio






Horta Biológica

Valorizar a agricultura biológica, fomentar boas prática de consumo sustentável, ampliar a biodiversidade e desenvolver a consciência ambiental das crianças e jovens do Concelho é o objetivo do espaço dedicado à horta biológica que se rege por dez mandamentos facilmente apreendidos pela comunidade em geral:
casa jlucio horta biologica-W300

- Alimentos mais saudáveis
- Alimentos mais saborosos
- Técnica amiga do ambiente
- Compostagem natural
- Reduz o lixo urbano
- Purifica o ar
- Obriga ao exercício
- Desperta a criatividade
- Educacional
- Sustentável

 
 
 
 
 
 
 




Trilho Verde

O percurso interpretativo permite percorrer o espaço exterior da casa identificando todas as espécies existentes. Pretende-se que os visitantes analisem as espécies e que possam desfrutar das cores, cheiros, texturas e das sombras das árvores.

casa jlucio trilho verde-W300Tarde de leite e rosas. Cada aresta,
Tinha um rubi tremente:
Fomos ouvir o canto da floresta,
O seu canto de amor, ao sol poente.
Tu querias sorver os poderosos
Lamentos de saudade e comoção,
Que, as raízes, dos fundos tenebrosos,
Mandavam, pelo ramo, pra o clarão.
Opalescera já, o ar. O vento,
Correndo atrás da sombra, murmurou…
Sentiu-se um fechar de asas. Num momento,
A floresta, cantou.
Em cada ramo, um violino havia:
Cada folha vibrava, ágil, sonora,
Par’cendo que escondera uma harmonia,
Nas sombras das ramagens, a Aurora.
Como a floresta, meu amor, eu tento,
Atirar o meu canto pra a altura:
Para a fazer cantar, toca-lhe o vento,
Pra me fazer cantar, no pensamento,
Passa o sopro da tua formosura.

“Na tarde de leite e rosas, ouvindo a floresta”, Na Asa do Sonho, João Lúcio



Cantinho das Merendas

Faça um piquenique e descanse...

 (…)casajoaolucio merendas
Algarve das paixões, do amor violento,
Que fana, quando passa, as bocas, de desejos;
Aromática terra, onde a asa do vento,
Em vez de ser de ferro, é branda como os beijos…
Terra dos figueirais e das vinhas formosas
Do luar novelesco, embriagante, albente,
Onde o sol sensual cansa os nervos das rosas,
Numa volúpia de oiro intensa, absorvente…
(…)

“O meu Algarve”, O meu Algarve, João Lúcio



Casa

casa jlucio entrada
A Casa João Lúcio também designada como Chalé João Lúcio é um edifício admirável, um promontório entre pinheiros, ceú e mar. Constitui um dos maiores monumentos da arquitetura  simbolista existente em Portugal. O seu  criador , o poeta algarvio João Lúcio ( 1880-1918), formado em Direito, em Coimbra, estabeleceu-se como advogado em Olhão e mais tarde foi Deputado e Presidente da Câmara Municipal de Olhão, onde desenvolveu um trabalho de mérito relativamente à Educação, Saúde e Cultura locais. Inteligente, culto e com enorme capacidade oratória, era sobretudo um artista.

Situada na Quinta de Marim, a casa do poeta João Lúcio começa a ser construída por volta de 1916, sendo a obra interrompida com a sua morte, em 1918. O edifício apresenta uma original composição plástica, com expressão oitocentista na larga platibanda balaustrada e evocações neo-mouriscas nos vãos térreos e na arcaria do átrio.

A Casa João Lúcio é uma casa rotativa, de planta circular, desprovida de traseiras logo, também, de uma fachada principal. Nesta planta é o quadrado que fornece a dinâmica rotativa a toda a estrutura circular. A quadratura do círculo, presente em vários sistemas de pensamento, confere a esta casa, entre outros elementos, uma forte carga simbólica.

Os acessos realizam-se a partir de quatro escadas distribuídas pelos pontos cardeais: a escadaria a norte tem a forma de peixe, a sul de guitarra, a nascente de violino e a poente de serpente. Assim, o peixe representa a água, a guitarra o fogo, o violino o ar e a serpente a terra.

Os espaços interiores da casa são, neste momento, utilizados como galeria de exposições de fotografia, pintura e escultura e como espaço de informação e educação ambiental.

casa jlucio sala jlucioSala 1 - João Lúcio


casajoaoluciogaleira1  Sala 2 - Rostos e Rastos de Água pelos Mundos


casajoaoluciogaleira2

Sala 6 - Rostos e Rastos de Água pelos Mundos

 


Ecoteca

A Casa Museu João Lúcio enquanto Ecoteca existe desde finais de 1998. É essencialmente um espaço didático e pedagógico, onde é privilegiada a informação, a sensibilização e a formação sobre Ambiente, sendo parte integrante da Rede Nacional de Ecotecas e desempenhando um papel de imprescindível de descentralização da cultura ambiental, contribuindo para a implementação da estratégia de Educação Ambiental preconizada pela Agência Portuguesa do Ambiente e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

A Ecoteca de Olhão resulta de uma parceria estabelecida entre o Município e o antigo Instituto do Ambiente. Elabora e disponibiliza um Plano de Educação Ambiental anual, destinado sobretudo à comunidade escolar, mas também disponível para a  população em geral. Os objetivos do plano visam motivar a mudança de comportamentos e a construção coletiva do desenvolvimento sustentável. Inclui atividades de sensibilização, de formação e também de carácter lúdico-pedagógicas, definidas em concordância com os planos curriculares das escolas do Concelho.

As atividades são desenvolvidas no jardim, laboratório, oficina, auditório e gabinete de projeção.
Auditório
Oficina
Auditório
Oficina
Auditório



cabine Projeção
Laboratório
Oficina
Oficina
cabine Projeção





 
O Programa para 2012/2013 estará disponível a 01/10/2012. Para mais informações consulte a secção Educação Ambiental.



Galeria


DSC05400
DSC05408
DSC05411
DSC05503 01
DSC05503 panoramica hi_res
FACEBOOK-DSC05390-panoramica-02




Casa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João LúcioCasa João Lúcio