289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
2015-030-cirurgia-cataratas-01Os olhanenses com cataratas começaram a ser operados no início desta semana, através do Programa Cuidar, desenvolvido pelo Município de Olhão para combater as listas de espera no Hospital de Faro, nas quais estavam inscritos muitos residentes. Já foram intervencionadas 16 pessoas na terça feira e no próximo dia 17 haverá cirurgias para outros 16 olhanenses.

“A Câmara Municipal de Olhão deu-nos a possibilidade de voltarmos a ver”. A frase, dita por Leonor Sousa, de 70 anos, ao sair da cirurgia, diz muito do que o Programa Cuidar representa para quem espera há anos por uma consulta de Oftalmologia no Hospital de Faro.

Foi com o intuito de inverter este ciclo, já que as listas de espera para consultas situam-se em cerca de três anos, que o presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, juntou esforços com o Município de Vila Real de Santo António (onde o programa também tem grande sucesso) e implementou esta iniciativa para apoiar na saúde oftalmológica dos mais carenciados do concelho.

Em pouco mais de três meses, estes utentes de Olhão tiveram consulta de Oftalmologia (gratuita) e marcação para a cirurgia às cataratas. O médico responsável pelo serviço, António Gaspar, agendou as primeiras intervenções para os doentes com maiores dificuldades de visão. E as reações não poderiam ter sido melhores. Apesar do nervosismo inicial – próprio de quem está prestes a fazer uma operação, por mais simples que seja –, a satisfação por verem uma situação delicada resolvida era evidente.

João Abreu, de 54 anos, elogiou a iniciativa e, já com o olho tapado, depois da cirurgia, disse que esperou três meses entre a consulta e a intervenção, enquanto que “no Hospital de Faro estava há mais de um ano à espera. A este ritmo, não sei daqui a quantos anos seria atendido”, testemunhou no dia em que lhe foi devolvida a visão. “Tinha uma catarata enorme, já não via nada. Agora, acho que vou ficar a ver quase a 100%. Para quem não tem possibilidades, como é o meu caso, é muito bom. O valor que paguei foi simbólico”, disse ainda João Abreu.

2015-030-cirurgia-cataratas-022015-030-cirurgia-cataratas-04
















O valor simbólico é comum a todas as situações que vão para cirurgia, já que este programa é destinado, em primeiro lugar, a apoiar os olhanenses com maiores dificuldades, pagando uma pequena percentagem do custo da operação, de acordo com os seus rendimentos.

“Via muito pouco, já não conseguia enfiar a linha numa agulha ou ler”, declarou Leonor Sousa, intervencionada ao olho esquerdo e que será operada ao outro olho em breve, tal como o marido, que também tem cataratas nas duas vistas. “Acho muito bem esta iniciativa da Câmara Municipal de Olhão, porque há muitas pessoas com dificuldades e a Autarquia deu-nos a possibilidade de voltarmos a ter qualidade de vida”, disse a olhanense na presença do presidente do Município, António Miguel Pina, que fez questão de acompanhar o primeiro dia de cirurgias dos seus concidadãos.

“É gratificante sermos abordados desta forma. Sentimos que o nosso trabalho, muitas vezes mal compreendido por alguns, é recompensado. São palavras e gestos como estes que nos dão ânimo para prosseguir o trabalho em prol do bem estar dos olhanenses”, referiu neste dia o autarca. 

Lucinda Sousa, de 71 anos, foi outra das olhanenses que passou a ter a possibilidade de ver depois da cirurgia do passado dia 10. “Agradeço ao Senhor Presidente esta iniciativa. De outra forma não sei quando poderia ser operada, já que estou há um ano à espera de consulta no Hospital de Faro e sei que ainda estão a marcar consultas referentes a pedidos de 2012. Foi o melhor que fizeram. Devia haver mais câmaras a fazer o mesmo. Não é deixarem as pessoas cegarem…”.

Os olhanenses voltam a ser operados às cataratas no próximo dia 17 e a 19 haverá cirurgias para tratar casos de pterígios (massa ou carne vermelha que avança sobre a córnea em resposta a uma irritação ocular) e chalázios (lesão da pálpebra geralmente confundida com o terçol).

Desde que o Programa Cuidar começou em Olhão, já se registaram mais de 2000 inscrições para a consulta de Oftalmologia, sendo que 1300 já foram realizadas. Para além das 16 cirurgias realizadas esta semana e das 16 previstas para o próximo dia 17, estão sinalizadas, até ao momento, mais cerca de 70 intervenções cirúrgicas às cataratas para os utentes de Olhão. “Estes números revelam a fraca qualidade da saúde que existe no Algarve. Espero que o ministro da Saúde o reconheça e que ajude os olhanenses e os algarvios. Porque a estas pessoas, sem posses e sem saúde, só resta mesmo o apoio de proximidade das autarquias”, referiu ainda António Miguel Pina.

2015-030-cirurgia-cataratas-032015-030-cirurgia-cataratas-05