289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
2015-058-aniversario-amo-01A noite de sábado passado, 21 de março, foi de festa no Auditório Municipal de Olhão (AMO), que comemorou o seu sexto aniversário com um espetáculo de Cuca Roseta com casa cheia. Paulo Duarte Filipe inaugurou a sua exposição “Quo Vadis, Rara Avis?” e deu mais vida à entrada do AMO, que recebeu os convidados com um Porto de Honra.

“Pode dizer-se que a sala de espetáculos olhanense é uma das principais da região, tendo conseguido afirmar-se”, referiu o presidente da Autarquia, António Miguel Pina, em noite de festa, quando também aproveitou para anunciar a surpresa – um pequeno teaser, para aguçar a curiosidade – que estava marcada para anteceder o espetáculo de Cuca Roseta: a Câmara de Olhão vai ter uma nova forma de comunicar, a Olhão TV. O lançamento oficial será no dia 6 de abril.

Depois de Paulo Duarte Filipe ter explicado que as suas instalações, em ferro e cerâmica raku, pretendem ser uma alegoria à natureza humana (podem ser visitadas até 30 de abril no foyer do AMO), a noite entregou-se ao fado e à presença marcante de Cuca Roseta.
2015-058-aniversario-amo-032015-058-aniversario-amo-02











Acompanhada por três músicos em palco, Cuca surgiu sorridente e com uma voz potente interpretando temas do seu mais recente trabalho: Raiz, lançado em 2013 e que rapidamente atingiu o ouro. Com produção de Mário Barreiros e co-produção da fadista, inclui na sua maioria fados escritos e compostos pela própria. Rua do Capelão, Fado da Vaidade, Fado do Contra, Porque Voltas de que Lei, Noite de Santo António, Faço Fé, Fado dos Sentidos, Barco Negro, Marcha da Mouraria, Nos Teus Braços, Boa Nova ou Marcha da Esperança foram alguns dos temas que fizeram vibrar o público e ‘obrigaram’ a artista a voltar ao palco depois de terminado o concerto, numa noite memorável em Olhão.

Com uma voz cristalina, a esbelta e sorridente Cuca Roseta, que anunciou ter o seu novo disco “quase pronto”, agradeceu ao Município de Olhão, através da empresa municipal Fesnima, o facto de ter sido convidada para atuar pela primeira vez a solo no AMO, “para uma bonita sala cheia”, depois de em 2014 ter estado ao lado de Ana Moura no Festival do Marisco. A jovem fadista cativou pela voz mas também pela simplicidade e beleza que transmitiu em palco. O aniversário do AMO não podia ter sido festejado de melhor forma, garantia das mais de 400 pessoas que encheram a sala de espetáculos de Olhão.

2015-058-aniversario-amo-04