289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
2015-128-O Dia dos ProdígiosO primeiro romance da escritora algarvia Lídia Jorge, O Dia dos Prodígios, foi a obra escolhida para ser debatida este mês no habitual espaço promovido pela Biblioteca Municipal de Olhão, “Ler, Reler e Tresler”.

Já no próximo dia 9, às 15h00, a primeira obra da premiada escritora algarvia é motivo de conversa entre os membros do Clube de Leitura e de todos os que quiserem comparecer na Biblioteca. Ainda durante o mês de junho, no dia 23, a iniciativa repete-se.

O romance O Dia dos Prodígios foi o primeiro que a autora escreveu e é uma alegoria ao País fechado que era Portugal durante a ditadura. O livro conta-nos a história da coincidência da misteriosa morte de uma cobra numa pequena localidade, com a revolução. 

A comunidade, incapaz de reconhecer a realidade política, adapta a chegada de soldados com cravos nos canos das armas ao seu mundo imaginário mágico-mítico. 

Lídia Jorge nasceu em Boliqueime em 1947 e formou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo sido professora do ensino secundário. Viveu os anos mais conturbados da Guerra Colonial em África e foi membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social.