289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
2015-275-livro-evolucao-urbana-olhaoA editora, Sul, Sol e Sal, com sede em Olhão, apresenta em dezembro o seu primeiro livro, Evolução Urbana de Olhão, da investigadora Sandra Romba. A sessão de apresentação terá lugar na galeria Sul, Sol e Sal, na Rua Vasco da Gama, no dia 11 de dezembro, pelas 18h30, e contará com a presença do editor e dos professores José Eduardo Horta Correia e Renata Araújo, bem como da autora.

“Iniciamos com o presente livro, Evolução Urbana de Olhão, a atividade editorial da Sul, Sol e Sal. O nosso objetivo é a edição e a reedição de textos que contribuam para a valorização sociocultural das comunidades e do património”, explica o editor Manuel Brito. 

Evolução Urbana de Olhão contempla o texto da dissertação de Mestrado em História da Arte, Especialização em História da Arte Portuguesa, defendida pela autora em 2008, na Universidade do Algarve. Esta dissertação é o resultado de um estudo sobre a evolução urbana de Olhão durante parte do século XVIII, século XIX e primeiras décadas do século XX.

Sobre a escolha do tema, Sandra Romba sublinha que “esta dissertação nasce de uma necessidade premente de estudar um espaço que se apresentava, de certo modo, diferente de outros espaços em redor, e tão próximos, como a cidade Faro e a cidade de Tavira. Surgida a oportunidade de fazer o Mestrado em História da Arte Portuguesa, a escolha do tema para a dissertação não foi difícil. Teria que ser sobre a cidade de Olhão. 

A intenção era procurar entender as especificidades daquele espaço, o porquê da sua aparente ‘diferença’ em relação aos outros locais.” O trabalho está dividido em três capítulos. O primeiro intitula-se “O Povoamento na Praia do Olhão e na Baixa-mar”, o segundo centra-se no “Povoamento das Hortas e das Fazendas a Poente das Igrejas” e o terceiro e último capítulo intitula-se “Da Rua da Feira ao Passeio Público”.

Com a publicação deste trabalho, Sandra Romba, técnica superior do Museu Municipal de Olhão, espera que se abram portas a investigações futuras: “Penso que a realização deste trabalho abre a porta a uma multiplicidade de estudos que são necessários levar a cabo, em qualquer uma das áreas estudadas, tal como noutras que ficaram por estudar”.