289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
A Câmara Municipal de Olhão prosseguiu, em 2015, a sua política de apoio às entidades desportivas, juventude e culturais do concelho, tendo o investimento ascendido a perto de um milhão de euros.

2016-024-apoios-clubes
Na área desportiva, a Autarquia subsidiou os clubes do concelho em mais de 215 mil euros, através de contratos programa: o Ginásio Clube Olhanense recebeu cerca de 50 mil euros, o Clube Maritimo Olhanense mais de 22 mil euros, o Clube Oriental de Pechão foi subsidiado com cerca de 21 mil euros e a Associação Desportiva Quatro ao Cubo com 28 mil euros.

“Mesmo num momento de contenção e equilíbrio do orçamento, e efetuando um esforço para  reduzir substancialmente a dívida, nunca deixámos de auxiliar todos os clubes desportivos do concelho”, afirma o presidente da Câmara, António Miguel Pina.

Para além do apoio à pratica das diversas modalidades desportivas, existia uma necessidade premente que era também uma promessa deste Executivo: a reparação das instalações do Lusitano Ginásio Clube Moncarapachense, assim como a colocação de relva sintética. Esta obra obrigou a um esforço suplementar e ascendeu aos 250 mil euros, num Contrato Programa de quatro anos.

Mais de 200 mil euros foram entregues às associações culturais e juvenis do concelho. Também aqui foram mantidos os apoios que vinham a ser distribuídos.

Na área juvenil, muitas foram as entidades apoiadas, com destaque para a MOJU - Associação Movimento Juvenil em Olhão (cerca de 9.000 euros), cujo trabalho ao nível do intercâmbio cultural tem sido bastante positivo, e para a associação Movidance (cerca de 4.000 euros). A Banda Filarmónica 1º de Dezembro de Moncarapacho recebeu mais de 7.000 euros e a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Olhão viu serem-lhe atribuídos 6.000 euros. Todos estes valores, conforme sublinha o presidente da Autarquia, António Miguel Pina, “espelham o esforço financeiro que este Executivo tem vindo a fazer sem, contudo, retirar ou diminiuir os apoios dos contratos programa ou esquecer as obras mais prementes”.