289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
A Sociedade Recreativa Progresso Olhanense acolheu, no passado sábado, uma performance de poesia, música e canto, onde foram evocados os 42 anos do 25 de Abril de 1974. O espetáculo “Dizer Abril. Lembrar Abril”, uma iniciativa do olhanense João Pereira, contou com o apoio da Câmara Municipal desde o primeiro minuto e levou para cima do palco a alma de alguns dos poetas e artistas que fazem parte do imaginário coletivo da Revolução dos Cravos.

2016-105-dizer-abril-lembrar-abril-01

“As portas que Abril abriu, nunca mais ninguém cerra”. Esta frase de Ary dos Santos poderia ser o mote deste projeto. “Trata-se de um sonho antigo que tenho vindo a amadurecer ao longo dos anos e que finalmente tomou forma, até porque é importante que os valores de Abril não se percam junto das camadas mais jovens e que eles percebam como foram conquistadas muitas das liberdades que hoje tomam como certas”, refere o mentor do projeto, João Pereira.

Ao intérprete principal juntaram-se os músicos Eduardo Patarata, Domingos Caetano, Flávio Henriques e Alexandre Ponte, para além de Laura Sebastião que, com o texto “Chamada Geral”, de Mário Leiria, abriu o espetáculo.

Ao longo da noite, foram interpretados por João Pereira, sempre acompanhado musicalmente por Eduardo Patarata, textos de José Carlos Ary dos Santos, Manuel Alegre, José Fanha, Vinicius de Moraes e Charles Chaplin. 

2016-105-dizer-abril-lembrar-abril-02

Na vertente musical, o músico convidado Domingos Caetano evocou alguns dos temas mais emblemáticos de Zeca Afonso, como Vampiros, Venham mais Cinco, Filhos da Madrugada, Traz outro Amigo Também ou Grândola, Vila Morena, todos acompanhados entusiasticamente pelo público presente.

A performance, que pretende ser uma forma diferente de abordar a Revolução dos Cravos, sobe de novo ao palco no domingo, dia 24 de abril, às 21h30, no Clube Oriental de Pechão, desta vez com as participações especiais de Luciano e Rosinda Vargues.

Um excerto do espetáculo será também apresentado no sábado, dia 23, às 15h00, na Biblioteca Municipal, na cerimónia de imposição da Cruz de Guerra e da Medalha das Campanhas das Forças Armadas, uma iniciativa do Núcleo de Olhão da Liga dos Combatentes.

2016-105-dizer-abril-lembrar-abril-03
 
2016-105-dizer-abril-lembrar-abril-04