289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
“Terra Chã”, a mais recente produção da Companhia de Dança Contemporânea de Évora, que cruza dança contemporânea, cante alentejano e sonetos de Florbela Espanca, vai ser apresentada no Auditório Municipal de Olhão no sábado, dia 29 de outubro, pelas 21h30.

2016-239-AMO-terra-cha
O espetáculo, com direção e coreografia de Nélia Pinheiro, surge de uma abordagem do contemporâneo à linguagem sonora do cante alentejano, classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Os sonetos de Florbela Espanca e as modas do cante alentejano estruturam a partitura dramatúrgica dos corpos em cena.

A coreografia, segundo a Companhia de Dança Contemporânea de Évora, "fala da expressão da terra, das vozes e expressão dos homens, da força que os une, do peso, da densidade do ar, do vazio, do silêncio, do grupo e da solidão, dos extremos e dos seus limites, dos amores e dos desamores".

"Terra Chã" é interpretado pela própria Nélia Pinheiro e também pelos bailarinos Gonçalo Andrade, Fábio Blanco, Ivanoel Tavares e Constança Sierra Couto.

A música é da autoria de Ólafur Arnalds, incorporando também modas de cante alentejano, e os figurinos são assinados por José António Tenente.