289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 

Site novo Ecoteca2O Município de Olhão assinalou a 22 de maio, Dia Internacional da Biodiversidade, com duas iniciativas na renovada Casa João Lúcio/ Ecoteca. Foi inaugurada a exposição de fotografia “Rostos e Rastos de Água pelos Mundos” e apresentado o “Guia de Campo da Fauna e Flora Marinha de Portugal”. Até setembro a exposição está aberta ao público das 10h00 às 19h00 de segunda a sexta-feira.

A reabertura da Casa João Lúcio / Ecoteca, que voltou a ser dinamizada pelo Município de Olhão, teve direito a festa e o tema só poderia ser Ambiente, que esteve sempre em destaque. Um dos momentos altos do programa, depois das boas-vindas pelo Presidente da Câmara Francisco Leal, foi a apresentação pela bióloga da Universidade do Algarve Teresa Borges, do “Guia de Campo da Fauna e Flora Marinha de Portugal”, da autoria de Vasco Ferreira e que também contou com a presença do editor Nuno Gomes.

A investigadora e professora teceu vários elogios à obra de Vasco Ferreira, salientando o facto de o autor ter optado por uma “obra complicada”. “Apresenta logo os mais complexos, os vertebrados, e depois os invertebrados, dos que gosto mais”, referiu a especialista, acrescentando que as fotos do Guia apresentam “detalhes impressionantes”. Teresa Borges falou da enorme quantidade de espécies que temos em Portugal mas lamentou as poucas obras publicadas que existem sobre estes temas, daí a importância deste Guia que, para si, “tem uma qualidade fantástica. Nota-se muito bem que o autor, um jovem biólogo, teve um trabalho extra, porque para além da compilação de informação, mergulhou e fotografou muitas destas espécies, e soube procurar”, acrescentou a docente universitária.

Vasco Ferreira, que mergulha e mergulhou um pouco por toda a costa portuguesa ao longo dos anos para conceber este livro, fez questão de realçar que o seu barco tem o nome de Patrão Joaquim Lopes, uma das figuras míticas da pesca olhanense. Sobre a obra, disse: “Nada se consegue fazer sem paixão e este guia é o reflexo da minha paixão pelo mergulho, pelo mar, pela biodiversidade marinha”.

E é também de biodiversidade marinha que ‘falam’ grande parte das fotografias da exposição “Rostos e Rastos de Água pelos Mundos”, também ontem inaugurada na Casa João Lúcio e que ficará patente até 30 de setembro, foi apresentada por Manuela Silva, do Centro de Ecohidrologia Costeira da UNESCO, a que se seguiu um momento musical com alunos do Conservatório de Música de Olhão que interpretaram temas onde o elemento água – essencial na exposição – esteve sempre presente.

Da autoria de cinco fotógrafos, Joel Santos (rostos) e Vasco Ferreira, Nuno Sá, Sérgio Tavares e Luís Quinta (subaquática), esta exposição divide-se por cinco salas da casa histórica que pertenceu a João Lúcio. Ao percorrermos os espaços é impossível ficarmos indiferentes à beleza das imagens subaquáticas assim como aos rostos fotografados por Joel Santos um pouco por todo o Mundo. A exposição pode ser visitada até 30 de Setembro, de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 19h00.