289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 

O setor da agricultura, pecuária e silvicultura tem vindo a perder a importância que deteve no passado na economia e no emprego concelhio, à exceção de uma experiência em curso desenvolvida por um operador holandês no campo da produção florícola, que exporta diariamente para a Europa quantidades importantes de flores, seguindo as regras mais modernas e eficientes da logística deste produto sensível.
Na área do concelho coexistem dois sistemas produtivos:o Sistema produtivo de Campina, nas áreas planas irrigadas das freguesias litorais de Olhão e Pechão, com a horticultura e a citricultura como culturas dominantes; e o Sistema do Barrocal, nas áreas de sequeiro interiores de Quelfes e Moncarapacho, onde, além de alguns pomares de citrinos, se encontra o pomar de sequeiro (amendoal, olival, alfarrobal e figueiral).
O Recenceamento Agrícola de 1999 revelava que as terras utilizadas para a agricultura, ocupavam no concelho de Olhão uma área de 4.407 hectares, sendo 909 hectares de terras aráveis (hortas e culturas temporárias) e 3.474 hectares de culturas permanentes, terão sofrido uma redução em consequência da expansão da urbanização para as áreas do barrocal ocupadas por esse tipo de culturas, reduzindo as áreas dedicadas às culturas de citrinos (1.400ha) e frutos secos (1.300 ha) nas terras de sequeiro.
A Pesca, que, no passado constiuía uma das bases de emprego do concelho, continua a afirmar-se como a mais importante atividade do setor primário: em 2009, empregava mais de 1000 ativos (40% dos pescadores matriculados em toda a Região), registando capturas de 13.672 toneladas de pescado (50% do total regional) no valor de 19,2 milhões de euros (dados de 2009).

Quadro 1 - Indicadores económicos dos portos de pescas algarvios

 

Ano

Lagos

Portimão

Olhão

Tavira

VRSA

Total

Capturas

Tons

2007

2.878

7.421

13.672

1.074

2.226

27.271

Mil €

10.463

10.019

19.268

4.313

17.306

61.369

Pescadores

2009

695

1.037

1.035

129

345

3.241

Embarcações

C/Motor

310

319

616

207

191

1.643

S/Motor

87

20

52

43

17

219

 

 









Fonte: INE, Anuário Estatístico da Região do Algarve, 2009.


Em termos empresariais, as atividades primárias da pescas (capturas) envolveram, na segunda metade da primeira década deste século, entre 91 e 97 estabelecimentos, estruturalmente centrados na pesca marítima.

Quadro 2 - Número de estabelecimentos no setor da pesca, segundo a dimensão do estabelecimento

CAE (rev.3)

 

Nº de Estabelecimentos

Pesca marítima

Pesca em águas interiores

Aquicultura em águas salgadas e salobras

Total

2005

2008

2005

2008

2005

2008

2005

2008

De 1 a 4 pessoas

55

57

1

1

4

5

60

63

De 5 a 9 pessoas

17

20

0

0

0

0

17

20

De 10 a 19 pessoas

7

9

0

0

3

1

10

10

De 20 a 49 pessoas

4

3

0

0

0

1

4

4

Total

83

89

1

1

7

7

91

97


Fonte: GEP - MTSS – SISED, Quadros de Pessoal.

Para além do predomínio das empresas que se dedicam à pesca marítima, deve destacar-se a atividade de sete unidades de Aquicultura e a expressão significativa das pequenas unidades abaixo de dez pessoas ao serviço (85,6%, em 2008).
Boa parte do pescado é destinado à indústria conserveira permitindo alavancar uma significativa componente de valor acrescentado da economia do Concelho, através de empresas locais e de unidades industriais de empresas exteriores mas que laboram em Olhão.
As atividades piscatórias e de transformação industrial do pescado animam o comércio internacional de mercadorias por operadores de Olhão, contribuindo para a importância do Concelho no comércio internacional de saída de mercadorias da Região: em 2009, saíram cerca de 25 milhões de euros de mercadorias, representando 28,5% de todo o movimento de saídas de mercadorias da Região para o exterior e conferindo a Olhão o primeiro lugar entre os concelhos do Algarve.


Quadro 3 - Olhão na expedição e exportação de mercadorias

 

Expedição

Mercadorias

103(€)

Exportação

Mercadorias

103(€)

Total

Saídas

103(€)

Percentagem do total

Regional (%)

Algarve

71.373

16.260

87.632

100,0

Olhão

23.113

1.853

24.966

28,5

Faro

12.987

3.827

16.814

19,2

Loulé

9.156

5.320

14.476

16,5

Silves

7.940

1.733

9.713

11,1

Albufeira

4.136

1.069

5.206

5,9

V.R.Sto. António

2.908

1.085

3.994

4,6

Restantes concelhos

11.131

1.373

12.504

14,2



















Fonte: Tratamento de informações do INE.

As múltiplas ecvidências da importância estratégica da pesca para a economia do concelho de Olhão não têm sido correspondidas pela evolução desta atividade desde o princípio da presente década com evolução desfavorável dos meios humanos e técnicos, como se pode apreciar pelos indicadores físicos relativos ao n.º de pescadores matriculados e à capacidade das embascações de pesca registadas em Olhão.