289 700 100
 
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
“Duas das áreas, porventura, mais prioritárias, para este Executivo”. É assim que o Presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, caracteriza os investimentos levados a cabo ao longo do ano transato nos setores da Habitação e Ação Social, que granjearam uma fatia do Orçamento Municipal que ascendeu aos cerca de 700 mil euros.

2016-077-camara-municipal-olhao
No que diz respeito à Habitação Social, onde foram gastos 575 mil euros, o foco foi colocado nas intervenções de manutenção, uma prioridades da Autarquia, que se mantém apostada em não deixar degradar o parque habitacional do Concelho. Para além disso, em 2016 assistiu-se a um decréscimo substancial da parcela de amortizações de empréstimos, uma vez que se concluiu pagamento de muitos deles.

“Um dos direitos mais elementares de qualquer ser humano é o direito a um teto condigno”, sublinha o Presidente da Câmara Municipal, António Miguel Pina, para quem “a Habitação Social estará sempre na linha da frente das preocupações deste Executivo, porquanto se trata de uma das mais básicas necessidades, o ponto de partida e a pedra basilar onde assenta uma vida digna e produtiva. Em Olhão, queremos que todos aqueles que precisem de uma casa tenham acesso a uma casa”.

O autarca prossegue, destacando a transferência de competências nesta área da Câmara Municipal para a empresa municipal Fesnima: “À semelhança do que aconteceu com a gestão de águas e resíduos, foi também nosso desígnio transferir a gestão do parque habitacional do Município para a Fesnima. Este processo decorreu no último trimestre de 2016 e já se encontra concluído. Com este procedimento, tornaremos a gestão da Habitação Social mais profissional e racional, passando o acesso a ser, consequentemente, mais equitativo e justo”.

Outra das áreas prioritárias no que à Ação Social diz respeito é o apoio às entidades do concelho que prestam auxílio à população, nomeadamente no acompanhamento a idosos, que mereceram por parte da Autarquia olhanense um investimento na ordem dos 125 mil euros.