289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
2018-039-aviso-a-populacao

1 - SITUAÇÃO METEOROLÓGICA
De acordo com a informação meteorológica disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), salienta-se a ocorrência de aguaceiros fracos e dispersos nos concelhos fronteiriços (principalmente da região Sul), durante o período da tarde de amanhã (10Out), estendendo-se ao resto do território durante a noite de 10 para 11 outubro. Na quinta-feira (11 outubro) prevê-se que a precipitação incida principalmente no Minho e Douro litoral, com valores acumulados de 10 mm em 24 horas, podendo ser localmente intensa, em particular durante a madrugada. Os valores acumulados previstos (em 24 horas) para a região Sul e para Trás-os-Montes não deverão exceder 2 a 5 mm.
De realçar a necessidade de acompanhar com atenção a trajetória da tempestade tropical “Leslie” atentos os potenciais efeitos em termos de precipitação, vento e agitação marítima para o próximo fim de semana.

2 – EFEITOS EXPECTÁVEIS
Os episódios típicos das estações de transição, com a ocorrência das primeiras chuvas, são propícios:
- à ocorrência de inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento;
- à ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras;
- à instabilização de vertentes, conduzindo a movimentos de massa (deslizamentos, derrocadas e outros) motivados pela infiltração da água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo;
- à contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais;
- ao arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte, que podem causar acidentes com veículos em circulação ou transeuntes na via pública.

3 – MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO
A Associação Nacional de Proteção Civil recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção às possíveis consequências:
Inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais:
a) Com as primeiras chuvas, as quantidades de lixo depositado nas embocaduras dos sistemas de águas pluviais, a obstrução originada pela queda de folhas de árvores e os detritos vegetais juntamente com outros materiais inertes que durante a estação seca se depositaram ao longo das valetas das vias de comunicação, contribuem para situações de obstrução dos canais de escoamento.
b) Estas são geralmente responsáveis pelo arrastamento e concentrações destes resíduos sólidos em locais inadequados (sarjetas, sumidouros, valetas) originando acumulações de águas pluviais que poderão provocar cortes de vias de comunicação ou mesmo inundações nos pisos mais baixos de edifícios.
c) Cada cidadão deve tomar uma atitude pró-ativa, nomeadamente assegurando a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais, ou varandas e a limpeza de sarjetas, algerozes e caleiras dos telhados de habitações.