289 700 100
 
geral@cm-olhao.pt
 
O Museu Municipal de Olhão – Edifício do Compromisso Marítimo assinala o Dia Nacional dos Centros Históricos, que se celebra na quinta feira, 28 de março, com a inauguração de uma exposição de rua, às 17h00, no Largo da Restauração, frente ao museu.

2019-044-porque-o-mar-tambem-se-faz-em-terra
A mostra, intitulada Porque o mar também se faz em terra, reúne um conjunto de imagens, compostas por fotografias e textos, cujos autores nasceram ou residiram em Olhão de meados do séc. XIX até ao séc. XX.

Pelos seus olhares e pela sua escrita, são partilhados alguns momentos daqueles que ficam em terra: vizinhos que confraternizam na rua, homens que se juntam na taberna, ou centenas de olhanenses que comemoram a revolução do 25 de Abril no Largo da Restauração.

De acordo com o Museu Municipal, “a história de uma cidade inscreve-se no seu Centro Histórico. Regra geral, corresponde à área mais antiga da cidade e assume importância geográfica, económica e social relativamente ao seu entorno. É um espaço dinâmico. O Centro Histórico de Olhão testemunha essa realidade. Nasceu da relação das suas gentes com o quotidiano das lides marítimas. Uma relação de trabalho e de ócio que se foi construindo ao longo do tempo com recuos e avanços”.

O Dia Nacional dos Centros Históricos Portugueses foi formalmente criado em 28 de março de 1993, sendo rapidamente adotado pela maioria das autarquias portuguesas, incluindo Olhão, cujo centro histórico é o expoente máximo da arquitetura cubista.